Fernando e Fernanda (continuação)

amor

Passados vinte cinco anos, o sentimento entre Fernando e Fernanda era o mesmo, embora estivesse adormecido em seus corações.

Fernando levava sua vida tranquilamente, viajando o mundo e ficando cada vez mais famoso como médico. Nossa querida Fernanda passou a vida dando sorrisos falsos, à espreita de Soares, que se tornou um marido ciumento e agressivo.

A família, antes tão unida, se via totalmente afastada.

Fernando visitava a Itália no momento que recebeu a notícia que o deixou completamente desnorteado e o fez voltar imediatamente para o Rio de Janeiro: Madalena morrera.

Fernanda cortava batatas quando o telefone tocou. Não conseguia parar de chorar, não conseguia aceitar que nunca mais veria a sua mãe.

No enterro, Fernando e Fernanda quase não reconheciam seus rostos, ¨flashes¨ de suas infâncias passavam em suas cabeças. Até que os olhares dos antigos amantes se encontraram. Seus corações foram tomados por sentimentos que nem os próprios conseguiam explicar. Saudade, remorso e tudo mais misturado.

Quando foram repartir a herança, foi impossível evitar a conversa. Depois de tantos olhares, os dois ¨irmãos¨ mataram a curiosidade. Conversaram sobre suas vidas, tão vazias até então, relembraram a infância e, com as memórias, afloraram diversos sentimentos, tão puros no passado, tão intensos agora. Um, em especial, se destacava: o amor.

De um instante para o outro suas mãos estavam grudadas como se fossem feitas uma para a outra. No calor do momento, o inesperado aconteceu: um beijo.

Depois daquilo, os dois não conseguiam se encarar mais. O ar começou a ficar escasso naquela sala de espera do escritório. Até que Fernanda decidiu voltar para casa. Sua cabeça parecia um emaranhado de pensamentos.

No escritório, Fernando só conseguia pensar naquele beijo e, tomado pela loucura, abriu mão de toda a sua parte da herança para Fernanda e decidiu se divorciar de sua esposa.

Ao chegar a casa, Fernanda se deparou com um envelope rosa, que não via há muito tempo; era uma carta de Madalena, escrita um dia antes de sua morte. Na carta, ela pedia a Fernanda uma única coisa: que seguisse seu coração.

Com os olhos encharcados de água, foi correndo para os braços de seu único amor, mais conhecido como Fernando.

Um ano depois da morte de Madalena, já divorciados, os dois amantes estavam novamente na casa de sua infância, dessa vez, finalmente, casando.

 

Anúncios