O AMOR TRAIDOR

8360941662_42c19c0cbd_b.jpg

Já fazia algum tempo que não via a Pomba Enamorada, porém ela continuava a mandar cartas falando de sua vida. Ela nem imaginava que eu já sabia de tudo. O Gilvan me contava.

Certo dia, após sair do meu trabalho, bem desgastante, como motorista de ônibus, na rodoviária vi uma mulher que me lembrava alguém, mas, a princípio, não a identifiquei. Aquela moça familiar veio em minha direção e percebi que era a Pomba.

Ela começou a fazer um monte de perguntas, e como não tinha muita paciência, fui curto e grosso, tentando afastá-la. Finalmente consegui me livrar dela. Já havia esquecido como isso era difícil.

A partir desse dia, não tive mais sossego. Tive medo que ela descobrisse meu relacionamento às escondidas com Gilvan. Andava olhando para os lados, por saber que podia encontrá-la.

Em uma tarde, resolvi contar ao meu namorado que a Pomba havia me encontrado. Liguei para ele várias vezes, porém, as tentativas foram falhas. Somente no fim da mesma tarde, recebi uma ligação de Gilvan. Do outro lado, a esposa encontrava-se ao telefone, querendo saber de quem era aquele número que telefonava tantas vezes. Ao perceber o que estava ocorrendo, ficou constrangido e desligou rapidamente.

A Pomba Enamorada confrontou seu marido perguntando se mantinha contato comigo. Ele, sem saber ao certo o que dizer, falou que sim e que saíamos para beber em algumas noites.

Ela associou, imediatamente, esses encontros com as noites em que Gilvan saía sozinho para “esfriar a cabeça”. Porém, ela ainda achava que tinha algo errado e logo pensou que estava, na verdade, sendo traída com uma mulher mais nova, mais bonita e que seu marido me usava como álibi.

Toda sua obsessão, que antes era por mim, agora estava na tentativa de encontrar respostas, sempre fazendo várias perguntas e vendo as mensagens do marido. Toda vez que ele saía, ela o seguia.

No dia seguinte, quando faríamos três anos de namoro, fomos ao cinema ver um filme que estava tendo bastante sucesso e, como sempre, ela nos seguiu, porém não percebemos a tempo de disfarçar. Agimos normalmente, como um casal. Ao final do filme, nos beijamos. A Pomba ficou sem reação. Nesse momento, a vimos e ela saiu correndo.

Não quisemos que a noite fosse arruinada por causa dela. Antes de Gilvan voltar para casa e tentar explicar tudo, fomos jantar, porque estávamos com muita fome.

Ao chegar em casa, as coisas dela não estavam mais lá e havia um recado na geladeira que dizia que tinha ido para casa dos seus pais, pois não aguentava o fato dos dois homens que ela amava tivessem-na traído.

No começo, Gilvan e eu  não soubemos o que fazer, mas depois de um tempo, percebemos que essa foi a melhor maneira de resolver a situação, afinal, não tivemos que falar nada.

A partir de então, essa história é sempre contada nas festas de família e um de nós dois sempre acrescenta detalhes. Esse amor fez mudar um pouco minha personalidade, afinal, eu só era grosseiro com a Pomba.

Mesmo depois de tudo que aconteceu, surpreendentemente, chegam cartas contando a história de uma moça que mora no interior sempre assinadas por: PE.

 

Músicas:

• 1ª música – 50 reais, Maiara e Maraísa, Naiara Azevedo; reação da Pomba Enamorada ao saber o que acontecia. https://www.youtube.com/watch?v=_b-FdGeNcYo

• 2ª música – É de arrepiar, Pixote; o amor vivido pelo casal. https://www.youtube.com/watch?v=BbJFoD7pivw

 

Anúncios